Primavera(s) de Deus

  • Explicação

    Maria, figura central da próxima Jornada Mundial da Juventude, é o primeiro sinal da Primavera de Deus, no inverno da humanidade. Como no-lo recorda o lema da JMJ, partiu “apressadamente”, porque essa Primavera, anunciada pelos profetas e ansiada pelo “povo que habitava nas trevas” (Mt 4, 16; Is 9,1) não podia mais ser adiada: tinha de contagiar outros, como mais tarde fará seu Filho Jesus, pelos caminhos da Palestina.

    Passados dois milénios, o inverno persiste (conflitos, desigualdades e injustiças). Porém, tampouco essa Primavera deixou de dar sinal de si, da sua presença atuante.

    Propomo-nos descobrir e conhecer “rostos jovens” de Deus. Jovens que foram Flores e frutos de fé, testemunhando a alegria e a paz dos filhos de Deus, em situações extremas de sofrimento ou na defesa da pureza; flores e frutos de esperança perseverante no longo inverno persecutório da fé, em tantos lugares do planeta e ao longo da história; flores e frutos de caridade que perfumaram a humanidade, na entrega das suas vidas pela dos outros, mais pobres ou vulneráveis da sociedade, em defesa da verdade e da justiça.

    São raparigas e rapazes de 4 continentes, dos séculos XX e XXI. Uns, cristãos desde o berço, outros, conversões extraordinárias, onde e quando menos era espectável. Todos morreram cedo, mas marcaram o seu tempo e seus conterrâneos, porque todos frutos maduros. Assim são as Primaveras de Deus.

    Desafiamos-vos, ao longo deste ano, a conviverem com eles: tomai-os como companheiros de vida cristã, mestres com quem aprender, amigos espirituais em quem colher inspiração e a quem orar, pois a maioria é venerável ou beatificada.

Primavera 54 - JOSÉ LUIS SÁNCHEZ DEL RÍO

JOSÉ LUIS SÁNCHEZ DEL RÍO nasceu no México, a 28 de Março de 1913.JOSE LUIS SANCHEZ DEL RIO
Estudou na sua povoação natal, onde integrou o grupo local da Associação Católica da Juventude Mexicana. Aos 10 anos, já ensinava seus amigos a rezar e levava-os à adoração eucarística. Com apenas 14 anos, foi martirizado no dia 10 de Fevereiro de 1928.
Foi beatificado juntamente com outros mártires mexicanos da cruenta perseguição religiosa (1926-1929). Contra o ditador Plutarco Elías Calles e suas leis ainticristãs, levantou-se uma revolta popular conhecida como “guerra cristera”. Os “cristeros”, milhares de mexicanos, resistiram heroicamente à drástica proibição do culto público, encerramento de igrejas e expulsão ou assassínio de padres e religiosos.
Apesar de muito jovem, José Luis assistia como podia seus irmãos comprometidos na luta de resistência, na defesa dos seus valores e fé cristã. Era seu desejo alistar-se como combatente, mas sua tenra idade era impedimento. No entanto, acabou por ser aceite como auxiliar do exército cristero, ajudando em muitas tarefas e serviços.

Continuar a ler

  • Visualizações: 367

Primavera 53 - SANTA SCORESE

SANTA SCORESE nasce a 6 de fevereiro de 1968, em Bari, na Itália.SANTA SCORESE
Seus amigos a descrem-na como uma criatura “solar”. Desinibida, sempre alegre e, desde cedo, com um forte carácter. Decidida, inteligente e viva, foi dominando a sua força a favor dos estudos e, posteriormente, das suas aspirações. Até ao fim revela-se boa aluna, apaixonada pelos estudos, fiel na amizade e disponível para os outros. Depois do liceu inicia estudos em medicina com o mesmo entusiasmo.
Adora música, ler e os encontros de amigos e, simultaneamente, mantendo-se uma rapariga séria e simultaneamente risonha porque confiante, mas lúcida e independente: “Compreendo que tenho a minha própria história e que, comigo, Deus tem o seu próprio ritmo: é o que torna belo a aventura da vida.” Santa, é-o de nome, mas aspira a algo mais.

Continuar a ler

  • Visualizações: 553

PRIMAVERA 52 - Jean-Thierry Ebogo

JEAN-THIERRY EBOGO faria hoje, 4 de fevereiro, 41 anos.JEAN THIERRY Ebogo 2
Nascido nos camarões, é filho de um casal cristão convicto e fervoroso. Desde pequeno manifesta o sonho de ser sacerdote. Para ele, significa converter-se num outro Jesus.
Para ajudar a família, prepara todos os dias 20 litros de sumo de limão gelado para vender no mercado. De caracter sociável, alegre e cheio de humor, conquista os seus companheiros. Inteligente e sempre o primeiro da turma, não se esquiva a ajudar os colegas menos dotados. Compõe poesias e é um exímio animador de festas. Empenha-se ainda na paróquia, onde se mostra muito ativo. Vive já de Deus e com Deus: “Confio-te a minha vida, meu ser para toda a eternidade. Posso encontrar algo melhor noutro lugar? Não, o Senhor é realmente o melhor, disto eu tenho a prova. O Senhor me criou, me fez. Com amor o Senhor me coroou.”

Continuar a ler

  • Visualizações: 392

PRIMAVERA 51 - Alois Andritzki

A 3 de fevereiro de 1943 morria ALOIS ANDRITZKI, em Dachau.ALOJS ANDRITZKI Cópia
Com uma injeção letal, era mais uma vítima dos horrores do campo de concentração. Mas Alois foi protagonista da sua vida, do princípio até ao fim.
Filho do professor local, Alois nasce a 2 de julho de 1914, num lar profundamente crente. É membro da comunidade sorábia, povo eslavo de tradição católica, que vive na região da saxónia, junto à fronteira germano-checa. É o quarto de seis filhos. Dos quatro rapazes, três tornam-se padres, enquanto o último morre na frente de guerra como seminarista.
Alois é ordenado em 1932 e é nomeado como vigário numa paróquia de Dresden. Depressa se destacam a exemplaridade da sua vida, seu fervor e sua devoção mariana. Dinâmico, empenha-se de forma destemida no apostolado. Isso, apesar de se expor ao perigo, pois o país entrou em guerra e a perseguição do regime nazi aos militantes católicos intensificou-se.

Continuar a ler

  • Visualizações: 346

PRIMAVERA 50 - Sãozinha de Alenquer

Celebra-se hoje o centenário do nascimento de SÃOZINHA de Alenquer, como ficou conhecida.SAOZINHA Cópia
Maria da Conceição Fróis Gil Ferrão de Pimentel Teixeira (seu nome completo) nasce a 1 de fevereiro de 1923, em Coimbra, onde seu pai termina os estudos de medicina. Segundo uma tradição antiga, os pais escolhem como madrinha de batismo a Nossa Senhora, com o título de Imaculada Conceição, da qual recebe o nome.
Já formado, o pai estabelece-se em Abrigada, uma modesta localidade próxima de Lisboa. É sua opção manter-se próximo dos seus pacientes, evitando o anonimato das cidades. Se o pai é idealista e generoso, a esposa é doce e piedosa. Inculca na filha os valores essenciais da religião. Maria da conceição cresce amada e educada.

Continuar a ler

  • Visualizações: 1222

PRIMAVERA 49 - André Vallée

ANDRÉ VALLÉE, nasce a 9 de novembro de 1919, na Normandia francesa.André Vallée Cópia
Em criança, revela-se autoritário, independente e lutador. Provavelmente, tal temperamento deve-se à morte prematura da mãe e ao novo casamento do pai. Irmão de outros três rapazes, todos jovens, não deixava outra alternativa ao progenitor. Mas o pai, homem de fé simples e forte, sacristão na sua paróquia, consegue obter do seu filho rebelde o que este é capaz.
Após o certificado de estudos, em 1932, André aprende um ofício numa empresa local. Os inícios são difíceis. O ambiente não é são. Dois anos depois, torna-se operador de máquinas numa imprimaria. Aí, tudo muda. Valorizado pelas suas apetências profissionais, descobre a JOC (Juventude Operária Católica) cujo ideal o seduz. Torna-se outro rapaz: participa da eucaristia e comunga diariamente. Tal mudança prepara-o para o que o espera.

Continuar a ler

  • Visualizações: 341

PRIMAVERA 48 - Gianluca Firetti

GIANLUCA FIRETTI, Gian para os amigos, nasce em Sospiro (Itália) a 8 de setembro de 1994.GIANLUCA FIRETTI
Jovem, empenha-se na escola e adora futebol, tanto que até sonha ser futebolista. De resto, nada o destaca da restante juventude.
Mas, em dezembro de 2012, durante um jogo, sente uma dor nas pernas que vai piorando. O diagnóstico é terrível: osteossarcoma. Apesar do esforço dos médicos, não restam muitas esperanças. Gian tem então 18 anos.
Durante os dois anos da doença, Gianluca revê-se em Cristo. No seu encontro com Jesus, sua vida alcança a plenitude, precisamente quando ela parece encaminhar-se para o seu fim. Acompanhado pelo P. Marco D'Agostino, as suas conversas sobre Deus vão ajudá-los mutuamente: “Gian era de uma simplicidade desconcertante, igual à criança evangélica, símbolo do Reino, que sabe apresentar-se como é, sem defesas. Ele não me pediu nada além estar com ele.” Semana após semana, o jovem deixa Deus ganhar espeço nele, abrindo-se também aos outros. Cresceu, sobretudo na confiança, contagiando a todos no amor. Passou a desfrutar de cada encontro, cada instante e situação como uma celebração de vida.

Continuar a ler

  • Visualizações: 716