IV Domingo do Advento (A)

DAR LUGAR A DEUS4 ADVENTO

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

1. Preparação
Procuro um lugar agradável e sossegado.
Assumo uma boa posição corporal.
Silencio o meu interior. Respiro lenta e suavemente.
Tomo consciência da presença de Deus.
- Invoco o Espírito Santo para que seja luz e guia na minha meditação e contemplação.

2. Leitura
Leio pausadamente (e releio) o Evangelho Mt 1,18-24.
- Procuro compreender o texto, percebendo o que transmite através dos elementos presentes (lugar, personagens, gestos e ditos), como se fizesse parte do episódio.
- Procuro entender a mensagem e implicações, hoje para mim. O que me diz, o que me faz sentir?
- Sublinho o importante; fixo o essencial. Esta Palavra é-me dirigida.

3. Meditação e Oração com Deus
O Evangelho deste último domingo, antes do Natal, recorda-me quanto o encontro com Deus revoluciona a existência. Para Maria, foi perturbador o inimaginável desafio de ser mãe de Deus. Hoje, José é confrontado com o humanamente inaceitável: como entender a gravidez de Maria!? A Lei permite-lhe denunciá-la publicamente para salvar a sua honra. Mas José, o justo, opta por sofrer em silêncio. Para ambos, é a confiança em Deus – e no seu projeto – que permite o milagre: um Deus que se faz homem, tornando uma história meramente humana plenamente divina.

Quantas vezes, Senhor, enfrento surpresas que me abalam e imprevistos que me desinstalam. Nessas horas, tento encontrar, por mim mesmo, soluções só para minimizar “perdas”, tentando salvar o “possível. Acabo por tomar decisões no meio da tempestade, contra toda a razoabilidade.
Talvez fosse melhor voltar-me para Ti e perguntar: que queres de mim, Senhor? És Tu a desafiar-me, a tirar-me da minha acomodação? Ou, simplesmente, é uma ocasião para reavivar a minha fé, uma oportunidade para reaproximar-me dos outros, de Ti ou de mim mesmo? É o inesperado que fecunda a minha vida.
Quando tudo parece desabar (os meus sonhos, planos, estratégias), desafias-me a acreditar, a ver mais longe. Mais importante que o momento e/ou problema é a forma como o(s) encaro: sozinho ou contigo!?
Foi no meio da noite, enquanto José dormia, que o socorreste. Também é no coração das minhas tempestades, medos e inseguranças que me desafias a acreditar: aceitar a tua luz e avançar… confiante.
Senhor, eu Te peço, ajuda-me a vencer o medo, pois este é contrário à fé. Abre-me à novidade que todo o novo desafio ou etapa me reservam. ConTigo, saberei viver cada instante como dádiva.
Converso conTigo como um amigo: falo, escuto, peço, louvo, pergunto, silencio.

4. Contemplação
Abandono-me nas tuas mãos, Deus.
Peço-Te que me reveles a tua vontade, o que esperas de mim, qual a resposta que mereces de mim.
Saboreio o teu olhar sobre mim. Peço a graça de reconhecer os desafios e enfrentá-los com fé e esperança.
Confio e agradeço, com palavras minhas.
Contemplo e adoro.
Apoiado em Ti, ouso comprometer-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

UM PENSAMENTO
“Possa eu fazer da minha vida algo de simples e direito, como uma flauta de cana que o Senhor enche de música”. (R. Tagore)

PROVOCAÇÕES
- Acredito que, como S. José, faço parte dos planos de Deus?
- Aceito que, através de mim, Ele quer chegar à vida dos outros?
- Na hora de tomar decisões ou enfrentar desafios, confio em Deus?

UM PROPÓSITO
Pedir ao Espírito Santo a graça de encarar cada desafio na confiança em Deus.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Era noite, dentro e fora, do coração
E o Justo, a querer ver… e entender.
Sofrido, optou por não fazer sofrer.

Era noite e caiu de sono, vencido.
Sem desfazer o já feito, que fazer!?
No segredo da fé, só restou sonhar.

No coração da noite, uma voz fala:
Não temas! A luz rasga toda a treva.
É rasto de Mensageiro do invisível.

Desde a sua noite, o Justo renasce.
José, o “sem palavras”, sabe escutar:
Escava no coração um lugar para Deus.

Das minhas noites, saberei aprender
A escutar os sonhos e não os medos.
Todo o tempo é de Deus… e para Ele.

UMA CANÇÃO
Zach Williams – Heaven help me