XVII Domingo do Tempo Comum (A)

QUE TESOURO ESCONDO?17 COMUM

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente o Evangelho Mt 13,44-52.
- Sublinho o importante; anoto o mais significativo.
Concluímos as parábolas do Reino, em São Mateus (ver domingos anteriores). Jesus apela ao compromisso total com o Reino (simbolizados no tesouro e pérola descobertos). É Deus que se propõe a nós. Escolhemo-Lo?

2. O que me diz Deus
- Imagino que é a mim que Jesus conta estas parábolas. Que aprendo delas? Que sinto?
O tesouro e a pérola encontrados provocam uma alegria tal que leva a tudo investir neles. Segundo Jesus, é o efeito que deve provocar em mim a descoberta do Reino de Deus. Este sintetiza-se na sua pessoa e mensagem. Viver o Evangelho transforma e renova a existência. Não me posso equivocar: ser cristão é seguir Cristo, de forma convicta e feliz; não se trata de esperar passivamente graças e milagres. A fé não é superstição. É um caminho a trilhar. Avançar com Cristo implica decisões, não tanto centradas no que deixo, mas naquilo que encontro. A felicidade é consequência disso.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, para quê comprar o campo se o tesouro já foi encontrado? Para quê desfazer-se de uma coleção inteira só por causa de uma pérola? Ouço em mim a tua resposta: não há tesouro escondido sem campo, tampouco há Reino sem que Te acolha na minha vida. Sou “dono de mim”, precisamente por estares presente.
Se, de verdade, és minha “pérola preciosa”, não posso “arrumar-Te” entre coisas, títulos ou sonhos. Nem posso reduzir-te a algo a conciliar com tudo o resto. Através de Ti, tudo se renova em mim e à minha volta.
Senhor, viver de Ti e para Ti não é renúncia, mas preferência. Não é perda, mas encontro. Antes do desprendimento, é adesão. Torna-me capaz de investir meu coração inteiro em Ti. Assim, saberei tirar deste tesouro “coisas novas e coisas velhas”.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, estás escondido em mim porque, primeiro, me procuraste. Reencontrar-te enche-me de paz, confiança e alegria. Assim repleto, rejubilo com desejo de retribuir-Te dando-me, a Ti e aos outros. Em silêncio agradecido, contemplo e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

UM PENSAMENTO
“A felicidade do homem não consiste em conseguir coisa alguma, mas em ceder todo o seu ser ao que é maior do que ele.” (Rabindranath Tagore)

PROVOCAÇÕES
- Onde invisto meu coração e minha vida?
- Tenho Cristo e seu Evangelho como tesouros?
- Meu testemunho assim o revela e é contagiante?
- Que preço sou capaz de pagar por Ele?

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de investir-me, por inteiro, no Reino de Jesus.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Tropecei em Ti,
Quase sem reparar
Que Te escondias em mim…
Buscando-me.
De tanto me entulhar
Com importâncias secundárias
Soterrei-Te, verdadeiro tesouro.
Perguntava minha mente
Se compensava escavar-Te
E já o coração disparara,
Decidido a tudo delapidar
Pois pérola mais brilhante jamais vira…

Falta agora escriturar este campo
Em teu nome, tomando finalmente
Posse, conTigo, de mim por inteiro
Em plena comunhão de Bem…
Encontrando-me.

UMA CANÇÃO
Jesus Culture – No other like You