A comunidade está em modo académico (em época de exames) Ler +

Epifania (A)

DEUS POR ITINERÁRIO6 EPIFANIA

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

1. Preparação
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal.
Silencio o meu interior. Respiro lenta e suavemente.
Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

2. Leitura
Leio pausadamente o Evangelho Mt 2,1-12.
- Procuro compreender o texto através dos elementos presentes (lugar, personagens, gestos e ditos).
- Alcanço a mensagem, hoje para mim. O que me diz, o que me faz sentir?
- Sublinho o importante; fixo o essencial. Esta Palavra é-me dirigida.

3. Meditação e Oração com Deus
Natal é tempo de encontro com Deus. Todo o encontro implica desejo e procura, caminho e perseverança. O relato dos magos vindos do Oriente é a minha própria história pois a vida cristã é uma contínua peregrinação para e com Deus.
Natal é também encontro com os outros. Recorda-me que a salvação de Deus, revelada em Jesus, é universal. Não é monopólio de uma elite, de um grupo religioso, etnia ou classe social. Em consequência, tenho de alargar o olhar e o coração.
Natal é, por fim, encontro comigo. Acolher Deus e abrir-me aos outros leva a redescobrir-me, nas minhas limitações e potencialidades. Também eu devo renascer.
Encontro é revelação: EPIFANIA de Deus, dos outros e de mim mesmo.

Encontrar-Te, Senhor, exige de mim pôr-me a caminho, como os magos do Evangelho.
Reconheço que nem sempre Te busco. Outras vezes, acomodo-me ao que já tenho e sou. Outras, como Herodes, é o medo e a insegurança a paralisarem-me. Felizmente, a insatisfação desinstala-me. Mas perco-me por caminhos que não me levam a Ti. Sigo outras estrelas de brilho ilusório. Saberei distingui-las?
À semelhança dos magos, reencontrarei o meu caminho através da tua Palavra. Mas eis outro perigo: contentar-me em saber mais que os outros. Também os sábios conheciam a verdade, mas não se deram ao trabalho de a experimentarem. Será que me disponho a procurar-Te, a encontrar-Te?
E que tenho eu a oferecer-Te? Não tenho ouro nem mirra. E esperas outra coisa que não incenso. Queres-me a mim, tal como sou; não o que tenho ou faço.
É aqui e agora, conTigo, que aprenderei a seguir outro caminho, feito de Evangelho escutado e vivido: um rumo novo que não me separe de Ti, nem me afaste dos outros. Peço-Te: segue comigo.

4. Contemplação
Abandono-me nas tuas mãos, Deus. Peço-Te que me reveles a tua vontade, o que esperas de mim, qual a resposta que mereces.
Peço a graça de reconhecer os desafios e enfrentá-los com fé e esperança.
Confio e agradeço, com palavras minhas. Contemplo e adoro.
Apoiado em Ti, ouso comprometer-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

UM PENSAMENTO
“Não se puseram a caminho por terem visto uma estrela, mas viram a estrela porque se tinham posto a caminho.” (S. João Crisóstomo)

PROVOCAÇÕES
- Para mim, a fé é algo adquirido ou um caminho em contínuo processo?
- Considero-me com a salvação mais garantida do que aqueles que não têm fé?
- O meu testemunho de fé (conversas, gestos, atitudes) leva os outros a quererem experimentar Deus?

UM PROPÓSITO
Pedir ao Espírito Santo a graça de fazer d’Ele o meu caminho, discernindo sinais e escutando sua Palavra.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Meu chão é tão vasto quanto o céu,
Imensidão de Deus por onde eu vou.
Nele me perco, descubro e encontro.

Sigo sinais Teus, sementes de caminho.
Mas outros brilhos há que me ofuscam,
Escurecem a senda e atolam os passos.

Não basta pois perceber-Te em redor
Mas achar o eco da Tua Palavra dentro:
Sou mapa da Tua presença que ressoa.

Encontrado, serei no agora Epifania Tua,
Espelhando-Te num regresso renovado,
Partilhando-Te com o irmão da estrada.

UMA CANÇÃO
Audrey Assad – Be thou my vision