Primavera 80 - GUIDO SCHAFFER

GUIDO SCHAFFER foi médico, surfista e seminarista.GUIDO SCHAFFER 1
Nasceu a 22 de maio de 1974, no estado de Rio de Janeiro, no seio de uma família profundamente crente e participativa na vida eclesial. Desde cedo, cultivou o gosto pela praia, pelo mar e desportos. De comportamento dócil fazia amigos com facilidade. Sua preocupação era levá-los para Cristo, encaminhando-os para o sacramento do crisma e depois para os inserir no grupo Cenáculo (Movimento Sacerdotal Mariano).
Entretanto, cursou Medicina, durante o qual fundou o Grupo Fogo do Espírito Santo (grupo de oração carismática). Formado, optou por exercer a medicina como clínica geral, especialidade que lhe permitia avaliar o paciente como um todo. Do tempo de exercício na medicina, um professor de medicina afirmou: “Em todo o tempo, dava testemunho de sua fé, no seu proceder irrepreensível com os outros. Vivia conforme os valores cristãos da cordialidade, temperança, caridade e justiça.”

Guido namorava e pensava em casa, seguindo com a carreira médica. Num retiro, foi interpelado para a necessidade de voltar o olhar paras os pobres. Em consequência, assumiu o compromisso de auxiliar as Irmãs da caridade (da Madre teresa) na assistência os pobres da rua. Associou outros jovens nesse voluntariado. Desse período, uma religiosa testemunhou: “Sua única preocupação era salvar almas. Levar todos a um encontro pessoal com Cristo. Para isso não media esforços… Fosse com palavras ou com o próprio exemplo. Quando atendia os irmãos de rua, não só zelava pela saúde do corpo, mas e sobretudo da alma. A nenhum deles deixou de falar de Cristo... A todos tratava com delicadeza, paciência e compreensão. Nunca o vi irritado ou impaciente com ninguém.”
No ano 2000, surgiu o apelo ao sacerdócio. Cursou Filosofia e Teologia com esse objetivo, acompanhado pelo bispo auxiliar da diocese, sem deixar de exercer a medicina e o voluntariado. Para ele, “a verdadeira liberdade é aquela que se funda no amor e elege o bem.”
Em 2008, entrou no seminário para frequentar os últimos dois anos do curso teológico. Seus companheiros testemunharam a sua amabilidade e inteligência. Além do seu amor pela eucaristia. Animava-o um grande desejo de realizar diversos projetos para Deus.
Porém, uma fatalidade ocorrida na prática do surf, uma das suas grandes paixões, teve um desfecho trágico. Vítima de uma contusão na nuca, desmaiou levando-o ao afogamento. Era dia 1 de maio de 2009. Segundo o testemunho de muitos amigos, Guida teria confessado seu desejo que, se Deus o permitisse, gostaria de morrer no mar, pela sua grande ligação à natureza e onde sentia a presença de Deus.
Em 2015, iniciou-se o processo de Beatificação e Canonização.

  • Visualizações: 459