II Domingo da Quaresma (A)

TRANSFORMADOS PELO TRANSFIGURADO2 QUARESMA A

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Mt 17,1-9.
- Sublinho e anoto o mais significativo.

Jesus transfigura-se, no alto de um monte, diante de três dos seus discípulos. Estes testemunham a sua glória e ouvem de uma voz a recomendação de escutá-l’O.

2. O que me diz Deus
- Que pensamentos e sentimentos despertam em mim esta passagem?
O relato da Transfiguração de Jesus sucede ao primeiro anúncio da paixão e às exigências do seu seguimento. A incompreensão de Pedro (e certamente dos restantes discípulos) é reveladora da perturbação e receio gerados pelas palavras do Mestre. Ao manifestar a sua glória diante de três dos apóstolos, Jesus como que antecipa a sua ressurreição, serenando os ânimos. A morte afinal, não terá a última palavra. Cristo apela à minha confiança n’Ele. Tendo-O comigo, não receio viver meu quotidiano.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, recordo e agradeço as ocasiões de “transfiguração”: retiros, momentos de oração, graças e intuições concedidas… Como Pedro, senti o desejo de eternizar tais momentos, pois marcaram e a iluminam a memória e o coração.
Porém, é necessário descer do “monte da luz” e encarar o dia-a-dia, pois é aí que meus irmãos esperam meu testemunho. Tua transfiguração reaviva-me a confiança, pois o temor da cruz revela a fragilidade da minha fé. Quiseste mostrar-me que tua glória é maior que a dor e a morte. Estas não são excluídas, mas encontram em Ti resposta.
Tal como numa caminhada, nem sempre vejo a meta. Mas tê-la identificada e acreditar nela dá força aos meus passos. Tu és o meu caminho e minha meta. Contemplando-Te, regresso aos meus afazeres mais confiante, grato, generoso e preparado para a luta. Estará à vista que me habitas e que meus gestos e atitudes falarão de Ti.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, contemplando-Te, transfigurado, minha fé e esperança se transformam em desejo de caridade. Por isso, Te louvo e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Sonho com uma Páscoa sem cruz?
- O que mais alimenta a minha “fé”: a relação com Deus ou a expetativa do “prémio” que Ele promete?
- Estou verdadeiramente à escuta da Palavra de Deus? Deixo-me guiar por ela?

UM PENSAMENTO
“Nunca em mim se verá tamanha dor / que o amor não converta em mais amor”. (Luís de Camões)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de deixar que Cristo e sua Palavra me transfigurem.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Transmitida a Palavra Tua
transtornado fico, de medo,
tentado a transviar o rumo,
transgredindo a esperança.
E Tu, transigente, convidas
a transpor a desconfiança
transferindo o sentimento
numa transfusão de amor.
Transplantaste meu chão
no monte da transcendência.
Aí, transpira uma quietude,
una, translúcida, transversal
na tua transparente glória.
Eis-me, a transbordar alegria,
transladado de mim mesmo.
Mas é preciso transitar, descer
ao velho, transitório quotidiano
mas transportando algo novo.
Como o poderei transcrever?
Já sei! Transformado por Ti,
em mim vives, TRANSFIGURADO.

UMA CANÇÃO
Hillsong Worship – Transfiguration

  • Visualizações: 962