I Domingo Advento (A)

UMA ESPERA VIGILANTEI Advento A

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Mt 24,37-44.
- Sublinho e anoto o mais significativo.

Jesus fala do dia do Filho do Homem, sua última vinda, em dia e hora imprevisíveis. Através de duas pequenas imagens (dilúvio e ladrão noturno), apela à vigilância constante.

2. O que me diz Deus
- Que pensamentos e sentimentos despertam em mim as palavras de Jesus?
Jesus não condena o meu quotidiano mas alerta-me para o perigo de viver atarefado sem nada aprofundar, tornando o coração insensível e fechado. Existir “sem dar por nada”, sem tomar o sentido dos acontecimentos nem valorizar os relacionamentos, é desperdiçar a vida. Por isso, Jesus apela à vigilância, a viver desperto e atento. O tempo do Advento é oportunidade para o encontro: comigo, com os outros e com Deus. Ele continuamente vem até mim.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, vivo tanto a correr que chego cansado ao final de cada dia. Cheio de inquietações e preocupações, como poderei dar-Te espaço em mim? O pior é a sensação de nada ter semeado ou colhido que dê sentido à existência, minha e dos outros.
Pedes-me que esteja vigilante. Não pretendes que o faça por medo, mas por amor. Esperas que Te aguarde em cada instante e através de cada pessoa. Atento a cada encontro, a cada ocasião de bem, poderei encontrar-Te.
Senhor, ajuda-me a ter um coração disponível, aberto aos outros e a Ti.
Que a minha oração seja mais feita do desejo de Ti do que qualquer outro pedido, por mais legítimo que seja.
Neste Advento que começa, ajeita-me o interior, Senhor, para que Te prepare um caminho até mim.
Estarei vigilante para não falhar a tua chegada.
Converso conTigo como um amigo: falo, escuto, peço, louvo, pergunto, silencio.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, nesta Advento, aguardo-Te, em jubilosa esperança. Entretanto, antecipando tua chegada, louvo-Te, contemplo e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Neste Advento, estarei mais atento a Deus ou às compras e outros compromissos?
- Quando rezo, é Deus que procuro ou os benefícios que espero receber d’Ele?
- A minha fé cristã expressa-se em gestos e palavras de esperança ou de medo?

UM PENSAMENTO
“A coisa mais divina/Que há no mundo/ É viver cada segundo/Como nunca mais”. (Vinícius de Morais)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de ter um coração vigilante.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Não serei
dos que não dão por nada
afogados na superfície das coisas,
naufragados em dilúvios de nadas.
A mim, Senhor, queres-me desperto
de desejo apeado que, desde a noite,
aguarda a promissora aurora
da tua chegada.

Por não saber qual a hora nem o dia
farei de cada instante um encontro.
Por não lhe reconhecer os traços,
lerei em cada rosto o seu mapa;
por ocorrer, quando não se espera,
tornarei o meu coração vigilante.

UMA CANÇÃO
Tim McGraw & Faith Hill's – Keep your eyes on Me

Podcast:

  • Visualizações: 156