XXIII Domingo Comum (C)

UMA PREFERÊNCIA QUE LIBERTA23 COMUM C

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Lc 14, 25-33.
- Sublinho e anoto o mais significativo.

Esta passagem reúne três sentenças de Jesus e duas parábolas. As primeiras recordam as exigências do seguimento. As segundas apelam à consciencialização do mesmo.

2. O que me diz Deus
- Que me fazem pensar e sentir as palavras de Jesus?
As palavras de Jesus são duras e difíceis. Parecem desencorajar o seguimento ao qual Ele nos chama. O contexto, em que são proferidas, esclarece. Jesus caminha para Jerusalém, onde a sua missão exigirá a entrega na cruz. Entretanto, uma multidão segue-O, inconsciente das implicações da identificação com Ele. Ele não quer número, mas discípulos. O que me define como discípulo? É a minha adesão livre, consciente e total a Jesus e ao seu Evangelho. Como se traduz? Com escolhas claras e inequívocas.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, quero seguir-Te, não apenas para “fazer multidão”. Porém, continuo apegado a tanto: afetos, sonhos, coisas… Decidir implica cortar. Não se caminha com amarras.
Não me pedes que despreze os meus relacionamentos, apenas que os viva desde o teu amor. Não me desejas vergado sob o peso da cruz. Pelo contrário, esperas que lhe dê a resposta da fé. Sem fugir dela. Tampouco me queres vivente na miséria, mas que meu coração seja livre de coisas, títulos ou outros bens. Pretendes é que não viva escravo de mim mesmo, fechado no meu mundo. Desejas-me de coração inteiro, não dividido. Se tudo é bom, nem tudo é essencial. E só este traz felicidade.
Ajuda-me a construir a inacabada “torre” da minha existência; a preparar-me para as batalhas vindouras e enfrentá-las, reforçado interiormente por Ti. Consciente e livre.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, és a minha preferência. Nada nem ninguém se compara a Ti. Agradecido, louvo-Te. Contemplando, adoro-Te.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Sigo Jesus por tradição ou convicção?
- No concreto, como se vê a minha preferência a Jesus?
- A fé torna-me mais consciente e responsável?

UM PENSAMENTO
“Se deste tudo menos a vida, fica a saber que não deste ainda nada.” (Henrik Ibsen)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de não mais confundir o essencial com o secundário.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Seguia-Te grande multidão, Senhor
em busca de pão… mas sem coração.
Bater palmas não compromete…
Seguir-Te, de verdade, é imitar
como faz o discípulo. E preferir-Te.

Seguir-Te é tomar a cruz, decidido
como quem abraça o caminho
e suas pedras, em cada tropeço.
É descobrir-Te, forte em mim,
reerguendo e carregando comigo.

Seguir-Te é declinar miragens
e salvaguardar Teu lugar em mim.
Renúncia é anúncio do essencial,
despojado de pesos e medos
e avançar, seguro, liberto, por fim.

UMA CANÇÃO
Bethel Music – You make me Brave

  • Visualizações: 192