Primavera 65 - MARCELO HENRIQUE CÂMARA

Marcelo Henrique Câmara deixou esta vida a 20 de março de 2008, com fama de santidade.MARCELO HENRIQUE CÂMARA 1
Era uma Quinta-feira Santa, dia da instituição da Eucaristia pela qual tinha tanta devoção.
Marcelo, nascido na ilha de Santa Catarina – Brasil – a 28 de junho de 1979, era um jovem, leigo, promotor de justiça. Procurou a santificação através das tarefas quotidianas, celebrando cada alegria e carregando a cruz, identificando-se com Cristo sofredor. E Marcelo teve a sua porção de dores.
Da avó, aprendeu as primeiras orações. Dos pais, com quem viveu até aos 10 anos, recebeu uma excelente educação. Em 1989, a separação dos pais marcou-o profundamente. Passando a morar com a mãe e o irmão mãos novo, forçou-se a ter atitudes de um verdadeiro adulto: preocupado em ajudar a mãe nas tarefas, cuidado com a gestão da casa… Sentia-se responsável pelo futuro e bem-estar dos familiares. Essa atenção caracterizou toda a sua restante vida.

Dotado de inteligência ímpar e apurada eloquência, características marcantes da sua pessoa, era considerado um aluno exemplar. Seu empenho nos estudos rendeu-lhe uma notável formação. Em 1997, ingressa no curso de Direito, seguindo-se o Mestrado.
A paixão pelo saber foi acompanhado por um profundo processo de conversão interior. Um curso de valores humanos e cristãos proporcionou-lhe um encontro pessoal, único com Cristo, dando um sentido novo à sua existência: a partir de então, sua busca intelectual passou a estar ao serviço da verdade, do bem e da justiça.
O Movimento Emaús contribuiu grandemente para a sua caminhada interior e espiritual. Tornou-se também ministro extraordinário da Comunhão na sua paróquia de residência. Estudioso profundo da doutrina católica, revelava uma postura firme face às propostas ou ensinamentos contrários. Jamais transigiu com o erro, em questões de fé e moral.
Teve um brevíssimo namoro com uma jovem, mas percebeu a incompatibilidade da relação. Ainda ponderou a vocação sacerdotal, antes de optar pela carreira de Promotor de Justiça, juntamente com a paixão pela docência.
Em 2000, aproxima-se do Opus Dei, encontrando aí acompanhamento espiritual e formação doutrinária que fortaleceram sua personalidade. Marcelo identificou-se com o ideal de santificação das atividades quotidianas e profissionais, transformando todas as realidades humanas como meios privilegiados de encontro com Deus.
Marcelo marcou profundamente as pessoas que com ele conviveram, não somente pelo seu conhecimento incomum, mas também pela disponibilidade demonstrada a cada um. Além da sua competência profissional e religiosa, a palavra acolhedora, o sorriso encantador, o companheirismo, a disposição em ajudar, a riqueza de sentimentos, a fé viva e inabalável, o intenso amor a Deus, eram traços da sua personalidade.
A partir de setembro de 2004, sua vida sofreu uma reviravolta. Perdeu subitamente os movimentos das pernas. Recebeu o diagnóstico de linfoma linfoblástico, um tipo de tumor que se origina no sistema linfático. Foi com surpreendente e contagiante serenidade que enfrentou o longo processo de tratamento. Foram cerca de 4 anos de exames, químio e radioterapia. Medicação e repetidos internamentos, transplante de medula óssea até que a doença evoluiu, em 2007, para uma leucemia.
A participação diária na eucaristia – sempre que lhe era possível – revelou ser uma força inestimável. Todos quantos o visitavam no hospital saíam confortados e impressionados com a sua paz interior. Sua aceitação e entrega aos desígnios de Deus era completa.
Mesmo doente, continuou a trabalhar e a estudar, até as forças lhe permitirem.
No dia 08 de março de 2020, deu-se a abertura do processo de beatificação do jovem leigo Marcelo Henrique Câmara.

  • Visualizações: 399