PRIMAVERA(s) DE DEUS (3)

A 5 de outubro de 1946, morria ALBERTO MARVELLI.ALBERTO Marvelli Cópia
Viu crescer e cair o fascismo na Itália. De família profundamente católica, Alberto recusa qualquer ligação ao partido do regime, preferindo identificar-se aos valores da Ação Católica. Inteligente, pacífico, mas dinâmico, forte de caráter, generoso e com elevado sentido de responsabilidade e justiça, desde cedo exerce uma influência positiva ao seu redor. Sua fé leva-o a defender os valores cristãos, mesmo em ambientes adversos. Assim será na universidade, desafiando professores, ou no serviço militar, onde condena a guerra (em pleno conflito mundial). Encontra a sua força na oração e na eucaristia.
Já sob o domínio alemão, Alberto desdobra-se para evitar a deportação de muito jovens, e apoiar as vítimas de bombardeamentos. Expondo-se ao perigo, era sempre o primeiro a sair a socorrer os feridos, a encorajar os sobreviventes, a assistir os moribundos, a retirar dos escombros possíveis vítimas. Dizia ele: “Quando houver necessidade, é preciso arriscar. Para ele, servir os outros era uma forma de apostolado.
A sua morte, por atropelamento, com apenas 28 anos, consterna toda a comunidade. A sua dedicação aos outros era reconhecida por todos.
Em 2004, é beatificado por S. João Paulo II.

  • Visualizações: 11