IV Domingo do Advento (B)

UMA CASA PARA DEUS4 ADVENTO BB

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Lc 1, 26-38.
- Sublinho e anoto o mais significativo.
A Anunciação mostra como Deus quer salvar a humanidade. Uma humilde virgem é escolhida como sua “porta de entrada”. Ao anjo de Deus Maria dá o seu assentimento.

2. O que me diz Deus
- Que pensamentos e sentimentos despertam em mim esta passagem?
É numa região periférica e aldeia ignorada que Deus escolhe uma “Mãe” para Si. Desconcertante surpresa para esta jovem anónima que “ganha vida” ao entrar nos planos de Deus. Para Ele todos contam. Também eu! Assusta!? Maria também se perturbou. Daí, esclarece suas dúvidas. Continua perplexa? Certamente. Mas confia em quem a interpela: Deus sabe o que faz. Então, faça-se! Este Natal, é a minha vez de acolher Deus. Mesmo sem ter sua virtude, Maria serve-me de modelo: darei meu SIM.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, és convite à alegria. Queres ser “Deus connosco”, a fim de partilhar os meus passos, elevando os meus sonhos. ConTigo, sou desafiado a tudo viver como dádiva, mas também como entrega. E é aqui que vacilo, pois receio perder o controlo.
Convidas-me a não temer. Diante de Ti, sou pobre e fraco. Todavia, em Maria, revelas preferir os mais pequenos. É por isso que, ao entrar no nosso mundo, optaste por Te apresentar pequenino!? Possa eu ter confiança suficiente.
Onde há guerra ou miséria, luto e incerteza, o Natal parece diferente: menos festa, menos presentes, mais vazio, mais despido. Será parecido ao primeiro, único e autêntico Natal: o Teu. Para nasceres entre nós, basta-Te um sim e um coração humilde e disponível. Torna o meu (e de todos) semelhante ao de Maria.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, queres fazer morada em mim: o Infinito e Perfeito no finito e imperfeito que sou. Agradeço humildemente. Louvo convictamente. Contemplo devotamente.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Deus é fonte de alegria para mim?
- Minha fé é resposta aos meus medos?
- Disponho-me a acolher Deus em tudo o que vivo?
- Meu Natal estará centrado no “Deus connosco”?

UM PENSAMENTO
“As pessoas são como casas com portas abertas… e cada casa deveria transformar-se numa morada para Ti, meu Deus.” (Etty Hillesum)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de reservar, em mim, um lugar especial para Deus.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Quem casa quer casa
e tu, Deus amante,
não fazes exceção, antes certificação.
Em Maria, reconquistas e regeneras
o regaço e abraço aconchegante,
desde a aurora dos tempos buscados.
Só em nossa casa, casa própria terás.

A espera em esperança
Tua presença fecunda converteu,
desconfinando espaços,
estreitando a distância.
Preferiste o templo do tempo:
escolhendo a mais pura de nós.
Nossa história Teu amor emprenhou,
e Tua Palavra morada tomou.

UMA CANÇÃO
Isadora Pompeo – Minha morada

  • Visualizações: 548