Solenidade de Cristo, Rei do Universo

O AMOR POR COROA34 CRISTO REI AA

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Mt 25,31-46.
- Sublinho e anoto o mais significativo.
O Filho do homem apresentado como juiz, identifica-se com todos os necessitados. A prática ou omissão das obras de misericórdia “separa” os justos, “benditos do Pai” dos “malditos”.

2. O que me diz Deus
- Que pensamentos e sentimentos despertam em mim esta passagem?
O texto precede a paixão, morte e ressurreição de Jesus. Profetiza o juízo final e recapitula todo o Evangelho. Cristo equipara-se a cada desvalido e marginalizado. Também eu serei julgado segundo a resposta dada às carências dos meus irmãos. Não existe espiritualidade desenraizada das realidades físicas e humanas. Pelo contrário, estas entrelaçam-se e complementam-se. O Reino de Deus só se comprova em gestos e atitudes de bondade. É no outro que encontro Deus. Em mim reina Cristo e o amor?

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, julgas-me pelo amor. Não valorizas o meu pecado, mas o bem realizado aos irmãos, meus e teus, mais desvalidos. Diante de Ti, não valho pela condição social, talentos singulares ou êxitos conquistados. Sou o melhor de mim dado aos outros. É nisso que me farei reconhecer como teu discípulo.
Meu maior pecado não é o feito, mas o deixado por fazer: o amor omisso. Senhor, impede-me viver a religião como mero refúgio. Teu Evangelho, meditado e celebrado, seja incentivo a amar mais e melhor. Teu caminho realiza-se da igreja para fora. É nos irmãos necessitados que Te escondes. Ajuda-me a reconhecer-Te em cada um deles. Desafia-me a não poupar nos gestos e tempos de atenção. É hoje que a minha salvação acontece. Peço-Te: minha oração não seja distração, mas se torne compromisso.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, reinas pelo amor. Tua coroa é a capacidade de amar que me habita. Teu trono é o próximo carenciado. Louvo-Te e agradeço. Contemplo-te e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Minha fé compromete-me na caridade?
- Como reajo perante as necessidades alheias?
- Minha compaixão resume-se a palavras ou concretiza-se em gestos?
- O amor em mim é seletivo (descrimino pessoas e situações)?

UM PENSAMENTO
“No entardecer da vida seremos julgados pelo amor.” (São João da Cruz)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de traduzir a fé em gestos de caridade.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Desprovido, no teu mundo, nasci
e dele despido me despedi…
Não Me busques, pois, entre pratas
nem tampouco Me revistas de ouro
se tua carne tomei por minha
frágil e corrompível.
Meu templo e palácio real
são tua indigência,
remida com vida e sangue
na cruz, em teu chão plantada
e ao céu apontada.
Procura-Me, agora
entre acamados e encarcerados
em cada mendigo de pão e amor.
Neles te chamo, esperando…
E, aí ajoelhado, orante e amante
serás minha preciosa coroa.

UMA CANÇÃO
Ain Karem – Los incontables

  • Visualizações: 336