III Domingo Comum (A)

ENREDADOS EM DEUS3 COMUM A

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Mt 4,12-23.
- Sublinho e anoto o mais significativo.

Jesus inicia sua missão. Chama os seus primeiros discípulos para serem, com ele, “pescadores de homens”. Acompanhando-O e testemunham sua pregação e milagres.

2. O que me diz Deus
- Que pensamentos e sentimentos despertam em mim neste episódio?
É o começo da “vida pública” de Jesus. Escolhe a Galileia, longe do centro político e religioso que é Jerusalém. É uma região periférica e tida por impura porque demasiado exposta à passagem e influência de pagãos. Com palavras claras e gestos libertadores, prega a urgência da conversão, para melhor acolhimento do Reino novo de Deus. Aí convida os seus primeiros colaboradores, entre gente simples, convocados em pleno contexto laboral. É na minha vida quotidiana que Deus me procura, encontra e chama.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, tua Palavra me alcança e ilumina às minhas vivências mais sombrias. O que vivo, luto e sofro não Te é indiferente. Isso dá-me paz na tormenta. Convidas-me ao arrependimento de tudo quanto, em mim, está em contradição conTigo. Dá-me clarividência para discernir o que devo mudar e corrigir, e qual rumo dar à minha vida.
Por vezes, procuro-Te. Mas, na verdade, és Tu que me buscas continuamente. Assim, possa eu estar suficientemente atento para reconhecer os sinais da tua presença, em cada acontecimento, encontro e experiência…
Queres contar comigo, como colaborador teu. Hoje, chamas-me a ser, conTigo, pescador de homens. Tantas vezes me vejo enredado nas minhas coisas. E, no final, o desafio é deixar essas redes. Em Ti, saberei descobrir o essencial. Não será por medo que mudarei, nem tampouco simples imitação. Mas será pelo teu grande amor.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, quero corresponder ao teu apelo, colaborando conTigo no resgate de muitos, pela oração, com gestos e atitudes. Assim Te louvo, contemplo e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Sinto-me parte ativa do Reino que Jesus anuncia? Como?
- Disponibilizo-me a cooperar na paróquia e na sociedade?
- Vivo a minha profissão ou qualquer tarefa como vocação?

UM PENSAMENTO
“Chamado ou não chamado, Deus estará sempre presente.” (Carl Jung)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça da generosidade para colaborar com Deus.

UMA ORAÇÃO-POEMA

A silenciada voz do deserto desafiara
e, nas cidades, ecoou uma nova: a Tua
que nem trevas, nem tempo detiveram.
Na desviada e sombria região da morte,
uma luz irrompe: um Reino que nasce
dando rumo novo, reacendendo a vida.

Quem a rede lançava, na Tua se enredou:
da faina ao caminho, “vinde e segui-me!”
Pois há um mundo a consertar, a renovar.
Nos meus confins, me buscaste e achaste
e, no meu areal, semeaste sonhos e mar:
um pescador de homens, conTigo, me fiz.

UMA CANÇÃO
Matt Maher – Alive again

  • Visualizações: 221