XXV Domingo comum (C)

DA FIDELIDADE À FELICIDADE25 COMUM C

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Lc 16, 1-13.
- Sublinho e anoto o mais significativo.

Jesus conta uma parábola desconcertante: elogia a esperteza de um administrador desonesto. Recomenda a mesma sagacidade aos “filhos da luz” e o reto uso dos bens.

2. O que me diz Deus
- Que me fazem pensar e sentir as palavras de Jesus?
Na parábola, Jesus não louva a desonestidade. Realça a capacidade do protagonista em discernir realisticamente a situação: reconhece as suas limitações e atua em conformidade, com prontidão e astúcia. Não se perde em lamentos ou justificações. Reflete, decide e faz. Como reajo nas adversidades? Mais, Jesus desafia-me a usar todas as minhas faculdades ao serviço do bem. O primeiro passo é decidir qual senhor sigo: Deus ou ídolos!? É nas pequenas coisas que revelo a minha escolha e fidelidade.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, entre medos e dúvidas, em muitas situações não sei que fazer: nos desafios do presente quotidiano, perante o futuro e suas incertezas, nos meus relacionamentos difíceis, nos mal-entendidos, depois de falhas e fracassos… Ajuda-me a discernir o que fazer e como fazer. Diz-me qual a tua vontade para cada momento.
Senhor, estou dividido. Desejo servir-Te, mas tendo a buscar o que Te é contrário. Queres-me livre e enredo-me em dependências de coisas, lugares e relações. Balanceio entre SER, contigo, e TER, despreocupado de Ti e dos outros.
Nas pequenas coisas, revelo o apego do coração e demonstro os meus reais anseios. Só existe uma forma de viver como filho Teu: viver como irmão dos que me rodeiam. Torna-me fiel. Liberta-me de falsos deuses e ensina-me a usar os bens no bem.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
És tu o Senhor que quero servir. Só em Ti me acho liberto e capaz de dar o que sou e tenho. Grato, louvo e contemplo.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Quando tomo decisões, a quem sirvo verdadeiramente?
- Tendo a conciliar opções opostas, buscando compensações ou afirmação pessoal?
- Existe coerência entre a minha atuação pública e o que faço em privado?
- O que existe em mim por converter a Cristo?

UM PENSAMENTO
“Sê fiel nas coisas pequenas, pois é nelas que encontras a tua força.” (Santa teresa de Calcutá)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de ser fiel nas pequenas coisas.

UMA ORAÇÃO-POEMA

A que servirei,
mau regedor de tanto bem e amor?
A que servirei,
se não sinto força, apenas vergonha
de errar e naufragar?

A quem servirei,
se magoei, desiludi e defraudei?
Como servirei?
Talvez usando os bens
e não as pessoas, servindo amando…

Servir-Te-ei, Senhor
tornando-Te grande em coisas pequenas,
gerando irmãos do meu trigo e azeite.
Meu coração não servirá dois amores:
prefiro Aquele que o liberta.

UMA CANÇÃO
Zach Williams – Survivor

  • Visualizações: 170