XIX Domingo Comum (C)

DESPERTOS19 COMUM C

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Lc 12, 32-48.
- Sublinho e anoto o mais significativo.

A segurança não reside na riqueza. Por isso, Jesus exorta ao desprendimento dos bens materiais. Através de três pequenas parábolas, incentiva à vigilância constante.

2. O que me diz Deus
- Que me fazem pensar e sentir as palavras e parábolas de Jesus?
Deus passa pela minha vida, mas raramente de forma manifesta. Daí, Jesus apela-me à vigilância. Manda revestir-me como quem se apronta para uma viagem ou uma tarefa. O servo é, por natureza, aquele que se mantém preparado, disponível, capaz de corresponder àquele a quem serve. A minha espera deve ser contínua, sobretudo nas “noites” da existência. Quando mais difícil, mais necessário. A “lâmpada acesa” assinala o coração e o olhar de quem aguarda, esperançoso e desperto. Sou desses!?

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, onde tenho o meu coração? Constato que multiplico necessidades, sem conta, para ser feliz. Engano meu. Não são as coisas, títulos ou prestígio que me enchem por dentro, de forma genuína e duradoura. Centra meu coração em Ti e estarei cheio.
Queres-me pronto para o caminho, preparado para a luta, de “rins cingidos”. A fé não é estática. É pura dinâmica. Impele-me! Move-me, antecipando o encontro.
Queres-me desperto, vigilante, de “lâmpadas acesas”. Tal como o meu coração. Acende, então, em mim o desejo de viver de Ti e atento às necessidades dos outros. Quem ama, ama servir.
Torno-me naquilo que amo. Amando-Te, serei reflexo teu para todos. Nutrido pela tua Palavra e atiçado pelo sopro do teu Espírito, espero-Te. Desperto.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, embora meu coração se distraia, és o meu tesouro. A Ti espero. A Ti busco. Assim Te louvo, contemplo e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Em que tesouro(s) coloco meu coração?
- Faço da minha vida de fé uma espera vigilante e ativa?
- Disponho-me a servir, amando, Deus e os outros?

UM PENSAMENTO
“Somos mais forte na espera do que na possessão.” (Paul Tillich)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de ter um coração vigilante.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Como Te acharei como tesouro,
se tenho o coração à deriva?
Desespero-me por não esperar.
Preciso-Te como me necessito
mas distraio-me de Ti,
tão obstruído de coisas
e de mim.

Aceitarei ver o invisível.
De rins cingidos, erguido, vigio
pronto a ser… servindo.
De coração aceso e amante,
desperto, desde dentro.
Peregrino de esperança,
tomo a espera por desejo.
O amor jamais adormece:
configura… transfigura.

UMA CANÇÃO
Lincoln Brewster – While I wait

  • Visualizações: 157