XXIII Domingo Comum (B)

CORAÇÃO EM ALTA-VOZ23 COMUM B

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Mc 7,31-37.
- Sublinho e anoto o mais significativo.
Em território pagão, é apresentado a Jesus um surdo-mudo. Tomando-o à parte e mediante vários gestos, liberta-o do seu mal, provocando a admiração de todos.

2. O que me diz Deus
- Imagino-me testemunha da cena. Que sinto?
Esta cura tem particularidades: Jesus afasta o necessitado da multidão; “precisa” de multiplicar gestos; proclama “abre-te”, em vez do usual “fica curado”. Mais que uma simples cura, trata-se de uma libertação. Na Bíblia, a “cegueira” e a “surdez” são metáforas de um povo que não quer ver, nem ouvir Deus. O relato deve ser entendido como um chamamento a me abrir a Jesus e deixá-l’O trabalhar em mim. Na verdade, poderei seguir Jesus sem escutar a sua mensagem e sem a comunicar aos outros?

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, para Te encontrar preciso afastar-me da multidão de pessoas, coisas e situações que povoam meus dias. É no recolhimento e na relação pessoal que Te reconheço presente. Só assim posso escutar.
“Abre-te!” É a palavra que preciso ouvir de Ti. São tantos os bloqueios que me fecham e separam de Ti. Toca-me e liberta-me dos medos e mágoas, convertidos em egoísmo, orgulho, alheamento de tudo e de todos. Só assim posso acolher a tua mensagem.
Sem aprender de Ti não posso anunciar-Te, de forma clara, fiel e eficaz. Faz então ouvir a tua voz, bem alto, em mim. Toca também o meu coração para me abrir na escuta dos outros e das suas necessidades. Só assim posso comunicar à humanidade que Tu és Boa Nova para todos.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, ao teu toque, sinto-me curado e liberto. Em total abertura posso acolher-Te e escutar-Te. Assim Te louvo e agradeço. No recolhimento, contemplo e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Estou aberto a Deus e aos outros?
- Qual é a minha maior surdez diante de Deus e dos outros?
- Sou capaz de comunicar a fé ou sou um cristão mudo?

UM PENSAMENTO
“A oração torna os nossos corações transparentes e só um coração transparente pode escutar a Deus.” (Santa Teresa de Calcutá)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de ter um coração aberto a Deus e aos outros.

UMA ORAÇÃO-POEMA

De coração mouco e titubeante,
sobrevivo, mas obstruído
de entulho acumulado,
recolhido no beiral de errâncias.
Congestionado de desassossego,
refugio-me no vão orgulho
de me julgar bem vivido,
gaguejando credos e sonhos.

Na bruma interior irrompeste Tu.
Teu tato, delicado e decidido,
cinzelou-me por dentro.
Teu suspiro acariciou a alma,
resgatando-a do torpor.
Tua Palavra desimpediu-me a voz
ao escutar-Te clamar “Abre-te!”
E o coração despertou, por Te sentir.

UMA CANÇÃO
David Crowder – Here's my heart