XVI Domingo Comum (B)

UM OLHAR QUE AMA16 COMUM B

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente Mc 6,30-34.
- Sublinho e anoto o mais significativo.
Os discípulos voltam da missão. Jesus convida-os ao merecido descanso. Mas diante da multidão, tida por “ovelhas sem pastor”, o olhar compassivo de Jesus prioriza o amor.

2. O que me diz Deus
- Como Jesus olha para mim? O que aprendo d’Ele?
Jesus não olha ninguém com indiferença: vê o cansaço dos discípulos e a necessidade da multidão. Descanso e missão parecem contradizer-se. O Evangelho questiona os meus cansaços e o que, realmente, me repousa. Preocupações desmedidas, dispersão exterior e divisão interior criam desassossego, insegurança e esgotamento. Pelo contrário, amar unifica-me e fortalece relações. Sem compaixão, torno-me estéril: a vida cristã e a ação pastoral tornam-se exercício académico e demonstração de poder.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, não pretendes que caia no ativismo. Tampouco me queres indiferente às necessidades alheias. Equilibrar descanso e ação não é fácil. Solicitações e obrigações atropelam-me. Esgotado, adio o necessário e desejado, para mim e para os outros. Ensina-me que parar não é perder tempo, pois só avanço se, em Ti, descanso.
Senhor, em Ti, o amor não é cego. Sabes perceber a necessidade de cada um. Vês, com os olhos do coração, a carência escondida, não assumida. E compadeces-Te. Dá-me um coração compassivo como o teu, capaz de amar e ajudar em vez de julgar.
Escolheste como prioritário ensinar. Antes de qualquer milagre, antes de multiplicar o pão para a fome física, alimentas-me com o pão da tua Palavra. Ensinas porque amas. Também eu preciso dessa verdade que me ilumine e guie pelo caminho.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, magnânimo Pastor. Apesar das minhas falhas, experimento o teu olhar de compaixão e a tua Palavra que me guia. Por isso, agradeço e louvo, contemplo e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

PROVOCAÇÕES
- Como aproveito os tempos de descanso e de férias?
- Neles incluo Deus e os outros, alimentando a fé e praticando a caridade?
- Tenho um olhar e coração compassivos? O que me levam a fazer?

UM PENSAMENTO
“Tens muito que fazer? Não; tenho muito que amar.” (Sebastião da Gama)

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de descansar em Deus para melhor amar.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Só avança quem descansa
mas só o amor Te repousa.
E eu que me esfalfo tanto
fora do caminho, errante
percebo, por fim, o quanto
reaver a fonte, caminhante
me devolverá identidade.
Daí, descansado, retornarei
às sedes humanas sem idade
e a valiosa raiz da vida cuidarei.
Em mim, no outro, cada coração
por Ti retornará, do fazer ao ser,
cedendo tempo na compaixão
para retomá-lo, depois, ao beber
da tua Palavra luz, rumo e descanso
na profundidade, achando repouso.

UMA CANÇÃO
Kim Walker-Smith – Unstoppable love