I Domingo do Advento (B)

QUEM AMA, AGUARDA1 ADVENTO B 1

LECTIO DIVINA – Um Roteiro

0. Preparo-me
Procuro um lugar adequado e uma boa posição corporal. Respiro lenta e suavemente.
Silencio os pensamentos. Tomo consciência da presença de Deus, invocando o Espírito Santo.

1. O que diz o texto
- Leio pausadamente o Evangelho Mc 13,33-37.
- Sublinho e anoto o mais significativo.
Jesus apela à vigilância. Usa a imagem do dono da casa que regressa em hora incerta. Até lá, os servos devem ocupar-se com as tarefas atribuídas. Com insistência, repete-se a interpelação: “vigiai!”

2. O que me diz Deus
- É para mim que Jesus dirige estas palavras. Como me interpelam? Que sinto?
Jesus profetizou a destruição do templo (ver Mc 13,2). Só agora responde à pergunta dos discípulos sobre quando tal ocorrerá. Porém, Jesus não esclarece o quando. Para Ele interessa mais como o discípulo deve viver o presente. A demora traz o perigo do esmorecimento da fé, da indiferença e do esquecimento. Não adianta pois vaticinar o fim dos tempos se deixo de viver este tempo. Por isso, devo vigiar e testemunhar a esperança, sem desânimo. Vigiar é amar. Quem ama cumpre a vontade do amado e espera-o ativamente. Assim tenho de viver este tempo do Advento.

3. O que digo a Deus
- Partindo do que senti, dirijo-me a Deus, orando (de preferência com palavras minhas).
Senhor, a sucessão dos dias e suas preocupações esfriam a esperança. A diversidade de solicitações, mais ou menos tentadoras, interrogam a fé. Esta pandemia, que nunca mais acaba, deixa-me sem ação para a caridade. Porém, não é assim que quero iniciar este Advento. Mais do que nunca, precisamos de Ti.
Peço-Te, particularmente, que eu não perca o gosto pela vida; que o distanciamento físico não me afaste afetivamente das pessoas e de suas situações. Ajuda-me a não esmorecer no desejo do bem; a não ceder perante o desalento e a desilusão. Neste caminho para o Natal, reaprenda eu a viver com paixão, evitando queixas e críticas. Preparo-me, interiormente, para Te acolher. Assim, meu coração e olhar estarão vigilantes para Te reconhecer, em cada um e em cada momento.

4. O que a Palavra faz em mim
- Contemplo Deus, saboreando e agradecendo.
Senhor, Tu és o Deus-connosco. Em todo o momento Te espero e acolho porque, continuamente, me queres encontrar. Só Te posso agradecer e louvar. Vigilante, contemplo e adoro.
Inspira-me o que esperas e mereces de mim. Apoiado em Ti, comprometo-me em algo oportuno e alcançável, crescendo na minha relação diária conTigo e com os outros.

UM PENSAMENTO
“Mais que ‘lugar de culto’ ou ‘instância moral’, a Igreja há de entender-se a si mesma e viver como ‘comunidade da esperança’.” (Jurgen Moltmann)

PROVOCAÇÕES
- Vivo em atitude de esperança ativa para acolher Deus?
- A minha fé mantém-se desperta para O reconhecer?
- O que tenho descuidado? A que preciso dedicar maior atenção?
- Como viverei este tempo do Advento?

UM DESAFIO
Pedir ao Espírito Santo a graça de viver o Advento com coração vigilante.

UMA ORAÇÃO-POEMA

Na torre de vigia me queres
De coração desperto
E olhar acurado e alerto.
Entre o sem retorno do passado
E o impenetrável futuro,
Só tenho o aqui e agora do presente.
Tomaste corpo em minha carne
E, repleto de glória, retornarás.
Mas é neste hoje que Te expecto,
Almejado e resguardado.
E é velando que Te amo
Iluminando meu fugaz instante
Com tua incontida eternidade,
Dilatando o mundo que abarco
Com o infinito do teu abraço.
Da seiva da esperança, vigio.

UMA CANÇÃO
Hillsong United – Awakening