Maria, Mãe de Deus

Karl Rahner, María, madre del Señor, Barcelona: Herder, 2011.

Maria, a Mãe de Deus eternamente Virgem, é para nós a realização concreta de um cristianismo perfeito. Este livro de Karl Rahner resulta de um conjunto de reflexões apresentadas durante o mês de maio de 1953, na igreja da Santíssima Trindade da Universidade de Innsbruck. Trata-se de uma reflexão acerca do Mistério de Deus, na sua relação com o mundo através da Mãe do Verbo Encarnado. Rhaner explora a figura de Maria por meio de uma abordagem dogmática. A maternidade divina da Virgem é pura graça de Deus e um ato pessoal de Maria.

Sabemos muito pouco da vida concreta de Maria. Porém, desde cedo, os cristãos reconheceram-lhe o devido valor. Esse reconhecimento é expresso pelo depósito da fé, na Maternidade divina, na eterna Virgindade, pela Imaculada Conceição e Assunção. A Igreja não proclama simplesmente princípios e verdades abstratas. Anuncia as realidades do poder e da eterna misericórdia de Deus. Neste itinerário pelos dogmas marianos reconhecemos a verdade de Maria, que a Igreja, pela ação do Espírito Santo, foi discernindo ao longo dos séculos.

Maria, pela sua participação no plano salvador do Deus Amor, é o fruto perfeito da redenção. Não se pode falar de um cristianismo real sem acreditar na verdade da mulher que concebeu, na fé e no próprio seio bendito, a salvação de todos nós. Sem sessar devemos repetir: Senhora nossa, nossa medianeira, nossa advogada, reconcilia-nos com o Teu Filho e mostra-nos, agora e depois desta vida, o bendito fruto do vosso ventre. Rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte. Ámen.